jul 16

Arte e Cultura Digital agita o Fim de Semana em Salvador

Gamepolitan e Hackathon+Salvador movimenta comunidade de artistas digitais em Salvador.

Fim de semana agitado para comunidade Digital de Salvador. Dois eventos na área de arte digital, games e empreendedorismo digital ocorreram simultaneamente, em locais distintos. O Gampepolitan evento de Games e tecnologia  com tema:”Realidade Virtual” um dos pilares para sua realização, trazendo as principais novidades e tecnologia e startups de games para comunidade soteropolitana e brasileira.

    • “Nosso objetivo sempre foi oferecer um evento que fosse completo para todos amantes de jogos, sejam eles tradicionais ou eletrônicos. Para este ano, queremos trazer não só games e as principais modalidades de e-sports como também, os jogos que  fazem parte do cotidiano das pessoas como dominó e baralho”.Ricardo Silva, Organizador.

O evento aconteceu no Centro Universitário Jorge Amado, no bairro da Paralela.

Do outro lado da cidade, no Centro Histórico de Salvador ocorria o Hackathon+Salvador, parte da programação do Fórum Agenda bahia, os participantes da maratona de inovação que durou 33 horas e cujo objetivo final foi apresentar uma seleção de ideias criativas para resolver os principais problemas do Centro Histórico, região considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Os maratonistas trabalharam com temas como governança, turismo, cultura, economia criativa e acessibilidade.

Para Fábio Gois, gerente de midias digitais e marketing do Jornal Correio da Bahia, o Hackathon + Salvador tem como missão promover e gerar um legado positivo e contribuir unindo lideranças, sociedade, poder público, iniciativa privada e imprensa na construção de propostas de impacto social para cidade.

De acordo com Conselheiro em Arte Digital do Conselho Nacional de Políticas Cultural do Ministério da Cultura, Glauber Machado, afirma que eventos em arte e tecnologia, cultura digital e empreededorismo digital tem como missão fomenta o ecosistema de negócios, acadêmico e profissional.  Gamepolitan e Hackathon+Salvador posiciona  o  Estado da Bahia, e Salvador no circuito da Arte tecnologia no Brasil. No próximo mês, a capital baiana vai sedia a versão regional do Campus Party, considerado o maior evento de arte, cultura Digital, Games e Tecnologia da America Latina.

dez 06

Reunião em Brasilia – em tempos difíceis

Diante de todo o cenário e instabilidade de governo e democracia, a cultura se viu como alvo – e também como solução – para tantos conflitos e situações minimamente duvidosas na política brasileira. Após termos nosso Ministério quase extinto, após as mudanças de representação da cultura, e tantas outras inseguranças que artistas e fazedores de cultura vem vivendo, fomos convocados para uma reunião com o propósito de dar prosseguimento aos trabalhos para os quais fomos eleitos.

Numa tentativa de não aprofundar este texto em questões sobre o atual governo, afinal seria então este um texto pessoal e não um relato do acontecimento, exponho aqui como ocorreu a chamada e as duas reuniões do colegiado, nos dias 22 e 23 de novembro de 2016.

O Colegiado Setorial de Arte Digital recebeu o informe da reunião com a justificativa de andamento dos trabalhos e também para auxiliar nas definições relativas aos eixos temáticos a serem trabalhados na próxima Conferencia Nacional de Cultura, prevista para o ano que vem. Juntamente com esta convocação, vimos a oportunidade de nos encontrarmos para tratar pautas e pontos relevantes para o colegiado, para a situação em que a Cultura se encontra, e articularmos o trabalho em prol do que acreditamos e defendemos. Decidimos, então, não por totalidade, comparecer à reunião e buscar dar prosseguimento ao nosso trabalho, com o cuidado de estarmos do lado em que os artistas estão e vem se posicionando.

No primeiro dia, nossos representantes realizaram o encontro na sala de reuniões da Secretaria de Audiovisual do MinC, com a presença de alguns representantes do governo como Caio Cesaro, coordenador geral de novas mídias da SAv, e Lina Távora, coordenadora das políticas de cultura digital, entre outros. Após as devidas apresentações, fomos informados de que nosso setorial estaria com a sua representatividade junto a esta secretaria, além da representatividade já conquistada dentro da Funarte. E que as demandas do setor serão auxiliadas pelos representantes de audiovisual. E, apesar do espanto inicial, a novidade pareceu apropriada e possivelmente proveitosa, considerando a equipe que estava representando o órgão, explicando e se comprometendo com as nossas demandas.

Com todos os esclarecimentos iniciais, nos foi sugerida em seguida a pauta onde entraríamos na discussão sobre os eixos da próxima CNC. E, entendendo a importância dessa pauta e do tempo que teríamos para discutir a nossa, iniciamos os diálogos. Dentre as alterações sugeridas, alguns termos foram modificados, outros adotados – de acordo com as propostas do glossário de cultura. Mas os pontos mais importantes foram relacionados a criação de sub-eixos a serem debatidos, tratando de economia criativa, cadeia produtiva, cotas para políticas públicas, equidade, educação e tecnologia, entre tantos outros assuntos que deverão ser abordados e destacados. Assim como um retorno em relação aos temas que já foram levantados em reuniões passadas.

Ao final da reunião, os representantes da Arte Digital prosseguiram reunidos para finalizar os assuntos que seriam tratados no dia seguinte e alinhar alguns pontos importantes. Com isso chegaram a seguinte pauta, que foi tratada no segundo dia de reunião:

  • Relato do representante Guine sobre a reunião do pleno e os encaminhamentos feitos;
  • Meios de comunicação e compartilhamento de arquivos do colegiado: e-mail, drive, comunicação com a SAv e arquivos perdidos;
  • Site do CNPC: acesso e alimentação;
  • GTs de trabalho já criados e novos GTs;
  • Plano setorial: o que esta sendo feito e como prosseguir;
  • Novos encaminhamentos e respostas aos antigos;
  • Relato da representante Marcia Battistella, de Santa Catarina, sobre os casos de sucesso em eventos, diálogo com outras esferas, investimentos e propostas de encontros, palestras e eventos na área.

Tais pontos foram identificados como de extrema importância para o prosseguimento dos trabalhos e foram discutidos e levantados afim de avançarmos nos trabalhos e na valorização das artes e cultura, em especial a digital. Em breve relato o segundo dia, onde as questões enfim foram discutidas e trazidas ao conhecimento da SAv e do MinC, para providencias e avanços.

Por Gabriela Silveira

maio 15

Realizada a posse dos Colegiados Setoriais 2015/2017

photo745552498511685924

A reunião de posse dos Conselheiros Setoriais de Cultura também garantiu um dia de discussão para os 18 setoriais e uma reunião extraordinária do Pleno do Conselho Nacional de Políticas Culturais – CNPC. A cerimônia de posse e os fóruns aconteceram nos dias 09, 10 e 11 de Maio. Ao todo, mais de 300 produtores, gestores culturais e artistas estavam na cerimônia de abertura, que contou com a presença do Ministro da Cultura, Juca Ferreira, além dos Secretários Vinícius Wu (SAI), Ivana Bentes (SCDC), João Bosco (FUNARTE) e Guilherme Varela (SPC).

 

A cerimônia também contou com a fala de representantes dos 18 Setoriais, além da apresentação dos nomes dos Titulares dos colegiados. Ao todo, os colegiados são compostos por 270 titulares e 255 suplentes e busca compor a diversidade de todo o Brasil. O CNPC “é uma instância de participação social colegiada que compõe o Sistema Nacional de Cultura e integra a estrutura básica do Ministério da Cultura”. O Conselho tem por finalidade “propor a formulação de políticas públicas, com vistas a promover a articulação e o debate dos diferentes níveis de governo e a sociedade civil organizada, para o desenvolvimento e o fomento de atividades culturais no território nacional”.

 

Depois de quase seis meses após a data marcada para o evento de posse, finalmente os conselheiros setoriais puderam ter o compromisso por parte do estado de que a política pública voltada para a cadeia produtiva da cultura é de fundamental importância para a dignidade e identidade do país. Sendo assim, os discursos foram em clima de despedida da equipe do Ministério da Cultura, com a perspectiva de que as políticas culturais no Brasil avançaram muito no último período, mas também pesava o fato dos anúncios do futuro governo interino de que pretendia extinguir o Minc.

 

Neste primeiro encontro presencial que envolveu os colegiados nesta nova gestão, foram muitas as manifestações por conta do atual cenário político nacional, como a do grupo de Culturas Afro, que denunciou o photo745552498511686022extermínio de lideres religiosos dos povos de terreiro. Uma das representantes do Colegiado  disse em forma de versos musicais e um pandeiro que “Governo sem legitimidade não se sustenta”, por isso os presentes concordaram em dizer que “ta na hora do pau comer”, fazendo um chamado para que todos da cultura passem a lutar por seus direitos e denunciar o governo ilegítimo de Michel Temer.

 

A política cultural no Brasil veio recebendo um fluxo cada vez maior de agentes empoderados da sociedade civil, e há muito se pregou o discurso de construção de uma política de estado e não de governo. A notícia de que tudo mudaria e de que o quadro passaria de uma hora para outra ao status de clandestinidade acabou chamando a todos a respeito de suas responsabilidades enquanto representantes da sociedade civil: “a partir desta data, passarão a construir esta política sem qualquer garantia do atual governo provisório brasileiro”.

 

A representante do Colegiado Setorial de Culturas dos Povos Indígenas, Denizia Kawany Fulkaxó, falou antes da apresentação do Ministro Juca Ferreira em nome dos 18 setoriais, e salientou que os Povos indígenas não chegaram até os dias de hoje por serem considerados bonitos ou agradáveis, ou muito menos por uma concessão dos colonizadores: “chegamos aqui porque resistimos. Lutamos e demarcamos o nosso território”. Ela também afirmou ter visto tristeza nos olhos do Ministro, e chamou a todos os presentes aos movimentos de resistências e apoio a permanência da cultura brasileira.

 

Uma das apresentações do evento foi a do Pro-Cultura, que se apresenta como uma versão melhorada da lei Roannet. Seu objetivo juntamente com a PEC 150-421 é “equilibrar a destinação de recursos via fundo de cultura e renúncia fiscal, bem como da fixação de percentuais orçamentários para a cultura”.

 

O Ministro Juca Ferreira afirmou em sua fala que na realidade não estava triste e sim acometido de um cansaço, tendo em vista a campanha contra o Golpe e por ter passado a madrugada acordado acompanhando seu filho doente. Reafirmou o compromisso e a preocupação do estado brasileiro para com as minorias como GLBT, negros, mulheres, povos de terreiro, capoeira e cultura tradicional. Disse ainda que desde a época de Gilberto Gil já se falava em tornar o Minc “a casa dos fazedores de cultura do Brasil”. Juca também criticou, como em entrevistas anteriores, a ideia de se fundir o Minc com outro Ministério.

 

O segundo dia de atividades foi voltado para a reunião dos colegiados setoriais, onde cada grupo de 15 membros titulares com seus respectivos representantes do poder público estiverem em plenárias encaminhando pautas como os planos setoriais, calendário de atividades, moções, manifestos, recomendações, grupos de trabalho, balanço de atividade e atuações.

 

photo745552498511686037Enquanto alguns ainda permaneceram no espaço para discutir suas demandas, outros adiantaram suas pautas e foram até o Ministério da Cultura marcar posições e fazer manifestações contra a extinção do mesmo.

 

O último dia de encontro dos conselheiros dos Colegiados Setoriais se deu no edifício Parque da Cidade em Brasília, onde no décimo segundo andar se deu a primeira reunião anual do Pleno do CNPC. Cada membro de setorial pode fazer a apresentação dos encaminhamentos de suas respectivas reuniões.

 

Em um segundo momento, a mesa realizou a leitura e aprovação de moções e recomendações, dentre elas a que se posicionava contra a extinção do Minc e da instituição de novas cadeiras para o CNPC como a de Capoeira, Cultura Alimentar, Hip Hop, Culturas Quilombolas e representante das expressões culturais LGBTT. Muitas decisões desta reunião já estão publicadas no Diário Oficial da União.

 

Após a confirmação do afastamento da Presidente Dilma, a notícia de que o Minc seria anexado ao MEC se confirmou e desde então artistas, produtores, gestoras e sociedade civil em geral lançaram uma série de notas, moções, páginas e cartazes para dar mais visibilidade ao manifesto. Um deles promovido por funcionários do Minc na posse do Ministro Interino.

 

Veja mais informações:

Vídeos da reunião de 09 a 11/05/2016 em BSB:

Vídeo 01: https://www.youtube.com/watch?v=uW-WpFXjm0A

Vídeo 02: https://www.youtube.com/watch?v=NxQDksbhkIM

Vídeo 03: https://www.youtube.com/watch?v=d67mQhw99oU

 

Álbuns com Coberturas Fotográficas do Evento

 

Ministério da Cultura

Cuiabá News

 

Petições e Moções:

 

Petição Artesãos

Abaixo Assinado Ministério da Cultura Fica

Por um ministério da cultura independente

Moção em defesa do GT Glossário da Cultura

 

Manifestações de Artistas no Brasil e no Exterior contra o fim do Minc

 

Fórum das Orquestras Brasileiras se posiciona contra possível fim do Ministério da Cultura

Em Cannes, cinema brasileiro reage à extinção do Ministério da Cultura

Classe artística reage ao fechamento do Ministério da Cultura

Eric Nepomuceno: Temer se vingou dos artistas

Artistas pedem a volta do Ministério da Cultura

Mendonça Filho é vaiado por funcionários do Minc

 

Páginas Contra a Extinção do Minc

 

MincResiste https://www.facebook.com/MinCResiste/

FicaMinc https://www.facebook.com/ficaMinC/

 

Paulo Zab – Colegiado Setorial de Arte Digital/GT Glossário da Cultura

 

Galeria de fotos dos grupos de Whatsapp e Telegram

maio 08

Plenária extraordinária dos colegiados e CNPC

image

Depois de uma seis meses após a eleição dos Colegiados Setoriais e Pleno do CNPC o Ministério da Cultura confirmou para os dias 09, 10 e 11 de Maio, em caráter de urgência, a posse dos conselheiros.

A decisão parece ter sido tomada em um momento extremamente delicado para a gestão das políticas públicas nacionais de cultura, tendo em vista que o pacote apresentado pelo possível presidente interino, Michel Temer, prever a extinção do Minc e de boa parte de sua política.

A expectativa é a de que os colegiados possam organizar diretrizes e estrategias para o próximo período, assim como ajustar o calendário de atividades.

PROGRAMAÇÃO

AGENDA DO DIA 09/05

AGENDA: Reunião Extraordinária do Ministério da Cultura Com os Conselheiros e Membros
dos Colegiados do CNPC e Cerimônia de Posse os Membros dos Dezoito Colegiados Setoriais
Horário: 14h às 20h
Local: Plenário José Paiva Netto – Parlamundi – SGAS 915 lotes 75/76 –Brasília/DF – Asa Sul
Brasília/DF

AGENDA DO DIA 10/05
Horário das Reuniões 9h às 20h

AGENDA: Reunião Extraordinária dos Colegiados Setoriais do CNPC
Legião da Boa Vontade – LBV /Parlamundi – SGAS 915 lotes 75/76 –Brasília/DF – Asa Sul – As salas estarão sinalizadas para recepcionar os setoriais.
Colegiados Setoriais que estarão sediados na LBV: Artes Digitais, Artes Visuais, Arquivos,
Arquitetura e Urbanismo, Patrimônio Material e Patrimônio Imaterial, Moda, Design, Circo,
Música, Dança, Teatro.

Horário: 9h às 20h

Fundação Cultural dos Palmares: Colegiado Setorial de Culturas Afro – Brasileiras
Endereço: Setor Comercial Sul- Quadra 2 Bloco C Ed. Toufic

Memorial dos Povos Indígenas: Colegiado Setorial de Cultura Indígena
Endereço: Eixo Monumental, Brasília – DF, 70732-500

IBRAM: Colegiado Setorial de Museus
Endereço: Setor Bancário Norte – Quadra 2 Ed. CNC 3 – Bloco N- 16 andar

Parque Cidade Corporate:
Endereço: SCS – Quadra 09 – Lote C – Bloco B – 12º andar Ed. Parque Cidade Corporate

Literatura, Livro e Leitura: Sala 2 do 12 andar
Cultura Popular: sala de reunião da SCDC – Sala 1 do 12 andar
Artesanato: sala de reunião da SAV 11 andar

AGENDA DO DIA 11/05

AGENDA: 1ª Reunião Extraordinária do Pleno CNPC
Horário: 9h às 14h
Endereço: SCS – Quadra 09 – Lote C – Bloco B – 12º andar Ed. Parque Cidade Corporate

Paulo Zab – Colegado Setorial de Arte Digital/GT Glossário da Cultura

maio 04

Lançado o Plano Setorial de Ilustração

Plano Setorial de Ilustração

Finalmente e sem mais demoras, aqui vai o Plano Setorial de Ilustração.
Para quem ainda não sabe, este documento é o planejamento oficial e norteador das políticas públicas para o nosso setorial para daqui os próximos dez anos em Curitiba, ou seja, até 2026! É o primeiro tipo de documento dessa natureza para a Ilustração e suas linguagens já feitas no país!

Nele vocês vão encontrar o histórico e propósito desse plano, as definições oficiais das linguagens, um diagnóstico informativo de como é o nosso setor na cidade, os problemas, diretrizes e ações para os próximos 10 anos, indicativos de políticas à nível estadual e nacional, documentação oficial, desde atas e resoluções até indicações de como devem ser feitas tributações e cursos superiores!

Enfim, é muita coisa e para quem acompanhou de perto o trabalho, sabe que não foi fácil, mas para quem não acompanhou, confesso que olha, vale muito à pena!
Então, para finalizar, para vc que deseja ingressar nessa profissão tão amada e para vc que já está, aí vão algumas coisas que podem te ajudar nessa empreitada. De coração…

No mais é isso. É só chegar e tomar posse das políticas criadas.
Para fazer o download, é só clicar aqui.

Boa leitura!

abr 12

Lançamento do Plano Setorial de Ilustração no Dia Mundial do Desenhista

Capa evento Face photoshop

 

Este ano, no Dia Mundial do Desenhista, será apresentado à comunidade de ilustradores da cidade de Curitiba – PR, o Plano Setorial de Ilustração.
Este documento é parte integrante do Plano Municipal de Cultura, com diretrizes e metas para as linguagens de Ilustração na
para os próximos 10 anos, ou seja, 2026,2027.
À partir desta apresentação, o documento segue para avaliação e aprovação junto ao Sistema Municipal de Cultura na Câmara dos Vereadores.
Você pode conferir o evento aqui

 

Cartaz Plano Setorial de Ilustração

abr 10

Confirmada a II Reunião do GT Glossário da Cultura

image

A II reunião do Grupo de Trabalho do Glossário da Cultura esta confirmada para os dias 12 e 13 de Abril em Brasília.

Após o primeiro encontro que serviu para nivelar o conhecimento do GT a respeito de ontologias, explicar a metodologia de trabalho e seus objetivos, a Coordenação do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais – SNIIC – informa que esta reunião será para “Avaliar taxonomias existentes para possível reutilização”.
Segundo Léo Germani, Coordenador do SNIIC, o objetivo é “mapear iniciativas de vocabulários, glossários, dicionários, tesauros, ontologias e taxonomias de forma geral que já foram produzidas para o mesmo escopo ou que dialoguem de alguma maneira com o foco da ontologia que estamos desenvolvendo. O objetivo desse mapeamento é avaliar a possibilidade de reutilização de trabalhos anteriores e também a possibilidade de reutilização de padrões que podem facilitar e ampliar a interoperabilidade entre soluções já existentes, ampliando assim o potencial de conectividade no espaço informacional da ontologia”, afirma.

Para ficar ainda mais por dentro:

No site do SNIIC há uma página específica para guardar a memória deste trabalho. Nela você encontra um artigo introdutório e um vídeo, de cerca de 30 minutos, com uma apresentação bastante didática sobre o trabalho realizado em: http://sniic.cultura.gov.br/vocabulario/

Veja a relatoria do primeiro encontro em: http://sniic.cultura.gov.br/2016/03/30/primeiros-resultados-do-gt-glossario-da-cultura/

A equipe da UFG fez uma primeira análise de todos os vocabulários reunidos a partir de uma solicitação a todo o sistema MinC. Veja o resultado em: http://sniic.cultura.gov.br/2016/03/31/diagnostico-da-ontologia-atualmente-existente-no-minc/

AGENDA PROPOSTA PARA A REUNIÃO

DIA 12
09:00 – 09:30 – Boas vindas ao grupo. Apresentação dos novos participantes.
09:30 – 10:30 – Apresentação do relatório da Oficina de Escopo
10:30 – 11:00 – Café
11:00 – 12:00 – Rodas de conversa sobre o relatório
Análise das sínteses dos 4 grupos de trabalho da oficina de escopo
Discussão dos resultados
Colheita de sugestões, críticas e comentários
12:00 – 12:30 – Plenária de apresentação das sínteses dos grupos de conversa
12:30 – 14:00 – Almoço
14:00 – 15:00 – Apresentação do relatório de avaliação das taxonomias existentes
15:00 – 16:30 – Trabalho em grupos de análise das termos candidatos centrais
Grupo de Trabalho “Mapas Culturais”
Apresentação da estrutura dos termos e lógica de organização
Grupo de Trabalho “Equipamentos Culturais”

DIA13

09:00 – 10:00 – Apresentação da pesquisa de práticas e fontes de informação de referência indicadas pelos participantes do GT
10:00 – 11:00 – Apresentação da pesquisa de Bases de Dados de Ontologias e possíveis Ontologias de referência
11:00 – 11:30 – Café
11:30 – 12:30 – Grupos de Trabalho
GT Ontologias de Referência
Análise da relevância para identificação de possíveis termos candidatos
GT Fontes de Informação de Referência
Análise da relevância para identificação de possíveis termos candidatos
12:30 – 14:00 – Almoço
14:00 – 15:30 – Continuidade dos Grupos de Trabalho
15:30 – 16:30 – Plenário de apresentação de sínteses dos Grupos de Trabalho
16:30 – 17:00 – Café
17:00 – 17:30 – Avaliação da Oficina
17:30 – 18:00 – Encaminhamentos e combinados para o próximo encontro
Veja mais infos a respeito da primeira reunião em http://culturadigital.br/artedigital/2016/03/03/gt-glossario-da-cultura-faz-oficina-de-ontologias-em-brasilia/

Paulo Zab – Colegiado Setorial de Arte Digital/GT Glossário da Cultura.

mar 21

Setorial de Ilustração finaliza o seu Plano Setorial

Capa setorial face 2

O GT Setorial de Ilustração, criado na cidade de Curitiba, Paraná, finalizou nesta última quinta feira (17/03/2016) o seu Plano Setorial de Ilustração.
“A importância da criação de um documento dessa natureza é imenso em seu potencial, pois além de identificar um setor artístico muito importante, muitas vezes desconsiderada nos circuitos daquilo que chamamos de Belas Artes, por ter uma natureza voltada à indústria e ao grande mercado, pela primeira vez insere as suas linguagens e suas demandas já históricas dentro do debate e dos programas de políticas públicas de modo amplo. ” Explica Jyudah, um dos criadores deste setorial.

Trabalho ininterrupto de elaboração de cerca de 3 anos, o Plano Setorial de Ilustração é parte integrante das políticas públicas do Sistema Nacional e Municipal de Cultura. “Além de estarmos contemplados dentro da Meta 46 e outras do Plano Nacional de Cultura, a criação desse setorial na cidade de Curitiba é o início de uma grande construção, que junto da conscientização por parte dos Ilustradores à respeito do que vem à ser este Sistema Nacional de Cultura, demanda mobilização, ações afirmativas e muita, mas muita paciência para entendermos não somente o contexto atual que vivemos, mas como o nosso setor pode estar o mais próximo possível do que desejamos daqui os próximos dez anos.”

Algumas das demandas que o setor possui, são referentes à preservação do acervo da Gibiteca de Curitiba (segundo pesquisas, a 1ª do mundo), editais e políticas de flexibilização de mecanismos de financiamento para modelos de negócios. “Curitiba já tem um histórico de tradição tanto na área de quadrinhos e das outras

Última reunião do GT Setorial, para discutir as metas e linhas de ações do Plano Setorial de Ilustração

GT Setorial. Em sentido horário ao fundo: Marcelo Lopes, Manoel Neto, Márcia D’Haese, Jyudah, Fúlvio Pacheco, Kleber Santos, Hialmar D’Haese, Pedro Moreira e Natan SS

linguagens. Existem também eventos de todos os portes e ações de valorização, mas foi com este grupo que a cena de Ilustração da cidade ganhou uma grande efervescência. Com este tipo de ação e um debate franco com o poder público, encontramos espaço e boa acolhida pelos profissionais da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), nesta gestão do Marcos Cordiolli, que abriu a Conferência Municipal e que através dela, pudemos levar o nosso debate para esta esfera.”
Atualmente, são 6 as principais linguagens artísticas que constituem o setorial: Ilustração (digital, editorial, publicitária, infantil, didática, etc), Histórias em Quadrinhos, Caricatura (charge, cartoon, retrato realista, retrato falado), Animação, Games e Tatuagem. No momento, não há muita perspectiva de que cresça esse filão, dado que a característica fundamental para isto é a linguagem ter contato estrito com o mercado e os representantes delas participarem das Conferências Setoriais de Ilustração, com previsão de realização à cada 2 anos.
Sobre a expansão desse Setorial, Jyudah explica: “- Ainda não existem planos de expandir este novo setorial à nível estadual e nacional, porque como explicado anteriormente, este tipo de ação demanda muita mobilização e nos casos específicos do nosso estado, aguardamos primeiro o Sistema Estadual ser reaberto e assim estar devidamente adequado às diretrizes do Pacto Federativo e no nacional, embora já exista algum interesse em outros estados em levarmos a nossa experiência, uma mobilização desse nível demanda um grande esforço das associações e entidades do setor em elaborarmos conferências e congressos para tratarmos desse assunto.”

A publicação do texto final do plano será feito no Dia Mundial do Desenhista, 15 de Abril, na Gibiteca de Curitiba. Para mais informações, todos os dados, documentos e hangouts estão no grupo Setorial de Ilustração de Curitiba, no Facebook. Para acessar, basta clicar aqui.

Gibiteca de Curitiba
Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro – Curitiba
Atendimento: 2ª a 6ª das 9h às 12h e das 14 às 18h30 e aos sábados das 14h às 19h
Fone: (41) 3321-3250
E-mail: gibiteca@curitiba.org.br

mar 16

Posse dos setoriais marcada pra Abril no Rio de Janeiro

image

O Ministério da Cultura, através da Secretaria de Articulações Institucionais (SAI) convocou no último dia 02 de Março todos os conselheiros titulares dos colegiados Setoriais eleitos em 2015 para a cerimônia de posse marcada de 25 a 27 de Abril. O evento também será acompanhado do seminário de formação “Participação Social na Era digital: Cultura, Estado, E-democracia”.

Depois de um longo processo que envolveu mobilização de agentes culturais de todo o território Nacional através da plataforma on line de votação e das eleições presenciais no Rio de Janeiro, Brasília e Serra Talhada e após o adiamento do evento previsto para o dia 16 de Dezembro de 2015, o Minc, enfim, marcou a data de posse dos colegiados setoriais para acontecer em Abril deste ano.

Juntamente com a posse, a programação vai contar com o seminário “Participação Social na Era digital: Cultura, Estado, E-democracia”, que segundo a organização “pretende contribuir para um processo de renovação dos canais de participação da gestão cultural, que considere as inúmeras possibilidades abertas pelas novas tecnologias da informação e da comunicação, e ainda, atender à demanda de formação continuada de conselheiros e conselheiras, que foi suscitada de forma reiterada durante o processo de eleição da representação da sociedade civil no CNPC”, reiteram.

Segundo ainda a coordenação, “o CNPC e os colegiados setoriais poderão extrair do seminário inúmeras conclusões a respeito do aperfeiçoamento de seu funcionamento e organização, balizando, dessa forma, as mudanças regimentais e dinâmica de funcionamento no próximo período”, explicam.

O evento seria o primeiro a contar com a participação efetiva do CNPC, já que a reunião realizada em Dezembro apenas serviu como formalidade, já que reuniu apenas os membros do Pleno que não havia discutido com a base.

Polêmica na contenção de despesas

Após a conclusão do período do envio de documentos, a Coordenação do CNPC mandou e-mail para todos os titulares e suplentes informando de forma mais expressa que as despesas pagas pelo Minc não estariam cobrindo as demandas dos suplentes eleitos, mas que “os que residem no Rio de Janeiro e os que tiverem como ir por conta própria, deviam enviar a Ficha de Inscrição preenchida, pois teriam vagas preferenciais com o local marcado para cada Colegiado Setorial”.

O informe gerou grande descontentamento entre representantes, manifestadas nas respostas enviadas por titulares e suplentes dos colegiados via e-mail. Alguns falam em quebra de acordo, enquanto outros acham injustificável a falta de orçamento para um evento que já tem previsão orçamentária anual. Falam também nos gastos com encontros que não eram prioritários. Ao todo, mas de 60 mensagens de diferentes representantes já foram enviadas.

Outra argumentação seria a de que além da posse, o Minc deveria garantir a participação de mais uma parcela da sociedade civil, onde a intenção é trabalhar a formação de agentes culturais. De qualquer forma, este já deveria ser o segundo encontro presencial dos colegiados setoriais e que para que tudo seja oficializado, delegados e suplentes precisam assinar o documento.

Gabriela Silveira, representante da Arte Digital no Pleno, foi uma das pessoas que se manifestaram. Ela disse que se posiciona a favor da participação de todos os suplentes eleitos convidados. “E me posiciono não por solidariedade aos suplentes, mas por saber a necessidade da participação dos mesmos, de estarem ativos e presentes, de entenderem a importância e valorização de cada um deles nesse processo de construção”, afirmou.

Até o momento do fechamento desta matéria, o Ministério da Cultura não havia se posicionado a respeito do assunto, mas nas listas de solicitações uma das propostas é de que todos boicotem a ida para o Rio de Janeiro caso às negociações não avancem. Enquanto isso, muitas pessoas reclamam de que não estão recebendo informações via e-mail ou recebem pouco retorno das dúvidas enviadas.

A expectativa é de que todo o problema se resolva em tempo hábil, tendo em vista que depois do adiamento da posse em dezembro, esse já era o período de realização de um segundo encontro presencial, e o adiamento do mesmo por qualquer fonte de problema só atrasaria o andamento de toda o conceito de política cultural que vem sendo desenvolvida nos últimos anos.

Paulo Zab – Colegiado Setorial de Arte Digital – CNPC/GT Glossário da Cultura – SNIIC

mar 03

GT Glossário da Cultura faz oficina de Ontologias em Brasília

 

940b555eec572990657330b7fab9e375

A IV Reunião da Comissão do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais aglutinou pela primeira vez em Brasília o recém formado GT Glossário da Cultura, e começou a discutir a Ontologia que irá compor o sistema, estipulando questões relativas a seus domínios, objetivos, modelos de governança, geração de relatórios e modelos de análises. Uma equipe formada por membros do SNIIC, dos fóruns de cultura dos estados e municípios e do CNPC estiveram discutindo durante os dias 26 e 27 de Fevereiro o que se propõe a ser uma ferramenta chave para a gestão cultural no Brasil.

Por se tratar de um tema onde poucos são especialistas (Ontologia), que trata basicamente da composição de termos e conceitos, buscando estabelecer níveis de proximidade e significação entre eles, a primeira reunião serviu para nivelamento de informações. Foi feito a apresentação dos representantes e entidades presentes da parceria MinC/UFG, universidade responsável pelo convênio para a formação do Glossário.

7d920feb72a9bb43cd3b09ebf2472ef5Os membros da universidade, presentes nas figuras do Professor Dr. Dalton Martins e da Professora Dra. Eliany Alvarenga, dinamizaram a reunião, colocando a pauta da oficina e mostrando projetos experimentais de ontologias e suas potenciais aplicações, assim como a produção de ideias e possibilidades imaginadas para a ontologia da Cultura.

A dinâmica do dia 26/02 se deu através da formação de 04 grupos de trabalho e rodadas de 1:00h de discussão mediado por equipe de apoio da UFG. Os temas presentes em cada grupo eram de Domínio, Objetivos, Questões e Governança. Após a dinâmica que também envolveu o turno da tarde, os participantes puderam fazer a socialização dos resultados.

Segundo a Professora Eliany Alvarenga, a Ontologia da cultura vai permitir “a identificação de áreas que precisam de desenvolvimento e apoio e busca à preservação da memória do conhecimento produzido. E a partir destas ações será possível repensar e planejar”, ressalta.

O Professor Dalton Martins pretende construir o Glossário a partir de uma metodologia colaborativa, onde não só as pessoas presentes nos encontros poderão participar. Os representantes da sociedade civil também poderão socializar a produção com os demais membros do CNPC e pesquisadores da área também terão acesso as informações e poderão colaborar.

970093d6826963ad277e0a649447a2bdLeonardo Germani, Coordenador do SNIIC, disse que o GT foi criado na última reunião do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais em Julho de 2015 e se buscou uma composição que abrangesse a maior diversidade possível dentro do campo cultural. “A questão dos Secretários de Estados e Municípios foi para representar os governos e para representar a sociedade civil não participamos da escolha direta, mas deixamos que o CNPC fizessem as indicações e depois fizemos as análises através da avaliação curricular e de afinidade dos membros dos colegiados”, afirmou.

A ideia de montar esse grupo, segundo Leonardo Germani, é fazer um trabalho bastante “consistente, representativo e que seja bem aceito pela sociedade”. Quanto a ideia de futuras atividades do GT, foi criado um calendário mensal de reuniões, onde a previsão para encerramento dos trabalhos é para Dezembro do corrente ano, onde se pretende entregar os produtos. “Todo este trabalho busca qualificar a gestão cultural, já que de 12 anos pra trás não havia uma política efetiva para a cultura”, ressalta Germani.

A preocupação permeia principalmente a questão da crise no país, que pode inviabilizar o sistema de pagamentos e reuniões por conta de cortes de orçamento. Porém, segundo dados de 2006 para 2014, houve um salto considerável no número de instituições culturais. “Tendo essa qualificação, poderemos ter mais oportunidades de estar mais inserido nas questões orçamentárias e em todas as esferas do governo”, conclui.

 

Extras:
Veja mais infos a respeito da reunião
Conheça o Vocabulários.cultura
Confira aqui a apresentação em PDF da equipe da UFG.

Paulo Zab – Colegiado Setorial de Arte Digital/GT Glossário da Cultura

Fotos: Paulo Zab

Posts mais antigos «

Pular para a barra de ferramentas