A voz do amor

A voz do amor

Lançou

Sobre o abismo

Todo ressentimento

Que torna

Vossa vida em laços

Incontidos

Mas o que deveras é

Perdoar?

Que rima com

Amar

Sentimento difícil

Que nossa alma

Resiste

Em tornar

Atitude

Todo ressentimento

Que perdoa

Mas quase não

Esquece

Pois isso é

Virtude

Do próprio

Eterno

O perdoar

Com proposito.

Telúrica paz

Telúrica paz

Do céu

Anjos nas nuvens

Não são pintados

Por um pincel

Mais que a imaginação

Humana

A fé

Inflama

O coração

E assim tudo se resume

No alto celestial

Como um sonho

Que a alma

Se glorificará.

Um navio em alto mar

Um navio em alto mar

Meu papel no rabiscar

Nessas ondas

Movidas

Pelo vento

 

O tempo

Em movimento

Total desejo

De estar

Mais perto

Do céu

 

Como um albatroz

Eu só estou a sós

Com Deus

 

E é apenas

Ele e eu.

Num vale

Num vale

Jacó deitou

  Para dormir

          E colocou

           Uma pedra

      Como travesseiro

 E sonhou que uma escada

             Onde anjos desciam

                E tornavam a subir

               “-Na verdade o Senhor

                         Estava neste lugar

                                  E eu não sabia”

Sete e sete

Sete e sete

São quatorze

Com mais sete

Vinte e um

Dois

Com número

1

Mas este ano

2020

Par de 20

Mas o que isso

Significa

Nada

Ou zero

Assim termina

O ano

Quem faz planos

Não fica no zero

Fica em paz

Com

Deus

E muito mais.

Quem disse que sim?

Quem disse que sim?

Quem disse que não?

A respeito da

Própria razão

De imaginar

Por caminhos

Que você

Mesmo

Pensa em duvidar

Mas existem

Diversos

Tipos de pensamentos

Alegóricos

Abstratos

Raciocinados

Dispersos

Entre outros…

E o pensamento

Mais importante

Não é o que se põem

Na estante

É o que se transforma

Em atitude

Com

Virtude.

Meu amigo Francisco

Meu amigo Francisco

Asas nem sempre voam

E o sol nem sempre brilha

Não queira de você

O impossível

Pois o possível

É para os Homens

Mas o impossível

É

para

Deus!

 

Sou eu quem escolhe

Mulher

colher

Sou eu

quem escolhe

e aprove

o que vai

me

enriquecer

Não como

instrumento do prato

mas algo que vai

além

Por isso digo

amém

sobre todos os opostos

e encho o copo

do suco

da uva

tão simples

como simplesmente

disser

que com Deus

tudo me sustem.

Cabeças inclinadas

Fugiu nome
e
sobre nome
da mulher

que disse
que me
amava

mas
no mais
das vezes
é assim

jardim
mulher
como uma
força
tamanha
da artimanha
do computador

professor
do seculo vinte um

cabeças inclinadas
nas calçadas
não prestando
atenção
a momento algum
e assim
caminha a humanidade
prevendo
o tempo
e o relógio
no computador
comum
se pelo menos
fosse pra
escrever?!

com as mãos
ocupadas

matando o tempo
que se torna
em nada.
(nada contra a informática)

Faca afiada

Desci as profundezas
do nada
como uma sombra
que não se apaga
no meu intimo
nada que me
fizesse
anoitecer
nem o quarto escuro
sem muros
faca afiada na
varanda
que corta o mal
pela raiz
nem grande Otelo
mais qualquer atriz
entre linhas ou versos
mais perversos
da natureza humana
que profana
os versos
escrevendo
bobagens
como uma
rima
profana.