Pus os meus pés no mar

Pus os meus pés no mar

e minha cabeça bateu nas

nuvens

Foi assim ao me levantar

e o que era ferrugem

brilhou como o sol

ao meio dia

depois de meditar na palavra

meu canto começou com si

bemol

e a minha vida pareceu uma

melodia.

O vento tece seus sabores

O vento tece seus sabores

e o ar da tarde

se faz

gentil

Eu, como árvore esquecida

me mostro sem flores

Nos montes prendo o meu

olhar

e agradeço a Deus:

Felizes os que têm um lar!

O que vale a pena

No globo se mostra os

desenhos

dos continentes

Desde a maior seca

as enchentes

A gente pensa que não

vai acontecer com a gente

Como gota que cai em um

copo

no retrato se tira uma foto

em menos de um segundo

Não há coisa maior no mundo

do que um momento mágico da

vida

Não perca o foco!

De agradecer por cada amanhecer no mundo.

A mente humana

A mente humana

muitas vezes insana

é enganadora

de feitos com caminhos

falsos

e fazedora

Premia um Rei de paz

com uma coroa de

espinhos

e submete os simples

a pagar pelo que não

fazem

A humanidade precisa

de um reino

que desça dos céus

como chuva frutificante

nos corações

carentes

sedentos

Para que seus feitos

sejam graciosamente

constantes.

Banho

Ah o ar fresco no inicio do

dia

desliza sobre o corpo e os

objetos

Anseio por afeto

Inicio de verão a luz

lumia

e um banho frio

pra refrescar o

corpo

A água escore num

fio

No inicio do dia tudo é

escopo.

O tempo leva os anos

O tempo leva os anos

e quem não faz planos?

Num piscar de olhos

o tempo estica

O que não se explica

é todo o movimento

do cosmos!

A luz do fim do túnel

A alegria e a felicidade

são um estado de espirito

mesmo quando se acocha

as costelas do físico

no infortúnio  

A luz do fim do túnel

vai brilhar a rocha

Rocha eterna!

Na mais fraterna

graça do amor espontâneo!

Além do lar

Desgosto!

Desgosto!

Turvo estorno

O ribombar de trovões

Terra e mar

Além do lar

Indescritíveis visões

A natureza reage

Como uma imagem

Das ações

Que sem mesura

O Homem não cura.

É licito ter um coração puro

É licito ter um coração

puro

mas a vida tem o pulso

duro

Desconhecia o risco de

minha brandura

A alegria de um feito

não para sempre

dura

Quisera eu merecesse de

Deus

apesar das falhas e dos

erros meus.

Rugem as águas

Do mar e das fontes

rugem as águas

A terra assolada

esgota-se aos montes

O Deus criador vai

nos cobrar do que

fizemos da criação

aldeias

montanhas

vales

ribeirão

Estendem-se de desgosto

os rios que irrigam

a terra

Temem virar esgoto

do Homem: esta inominável

fera.