Penso que a existência humana é como um rio

Nasce numa fonte pequenina

Vai crescendo e se alargando

Num caminho impreciso

Atravessando obstáculos como caídas de cachoeiras

E vai traçando seu rumo dando ajuda e vida a tanta gente

Montanhas serras e vales e ribanceiras

Embora haja ações traiçoeiras

Não deverá desistir de buscar

Do seu caminho traçado

As vezes como enchente

As vezes sequidão no imenso sertão

Há rios caudalosos e enormes

Há afluentes destes mesmos

Vai neste incessante caminho

Até desaguar no Deus mar