Parei entre o sinal

Os motoristas buzinam

As motos ameaçadoras despejam seu ronco

A rua é dos automóveis e veículos

Temo a travessia

Cuidado os que não temem!

Os motoristas têm presa

O sinal vermelho é uma largada

De sentimentos afoitos ou compassivos

Até onde suportará a atmosfera em nossos ouvidos?

O País cresce, o mundo cresce

Até onde?

Até onde suportará nossa vida passageira?

Onde tudo é descartável, até nossas vidas

Somos sufocados por um mundo de informações

A maioria de números onde os economistas tateiam em desvendar

Há um limite pra tudo

Parem a fúria, parem o egoísmo!

Tem de ser um mundo onde haja o sustentar!