O que fazer?

Quando tudo é escasso.

Quando os montes parecem inatingíveis.

Não há fonte no regaço.

E o conviver dos humanos é difícil.

Quando a inebriante vida é partida;

Embora eu chame a mulher com o olhar,

Não é o bastante para amar.

Minha vida, meus sentidos, são sonhos mal começados.

Embora haja frustação em minhas palavras;

Solto o tom além de uma oitava;

Pra meu espírito não ficar calado.