Estou concorrendo a um concurso de pintura, organizado pelo laboratório que fabrica o Risperdal. O comprimido que eu tomo todos às noites.

Confesso que não estou muito animado para este concurso. Não tenho tido muita criatividade na pintura; e o meu quadro estou achando um horror. Não que eu não tenha talento, eu até faço alguns bons desenhos. Acho que é a faze pelo que estou passando mesmo. Por alguns dias eu pensei estar com a sorte nas mão. Foi por um triz que a sorte passou por mim.

Hora essa, eu sou jovem e tenho qualidades, para ser bem sucedido no trabalho. Tenho lá minhas cismas. Não deixo de acreditar na minha capacidade de me superar.

Não posso deixar de acreditar que a sorte ainda vai estar ao meu lado.

               Sinto o presente no futuro. E, assim, num dia destes eu acordarei sorrindo e triunfante de alegria, pela vida. Verei tudo mais colorido, tudo mais bonito. Sonhos serão realizados e a alegria de um futuro promissor, será um componente de minha vida.

Junho de 1998 – Terapia Ocupacional do Hospital Jurandir Manfredini