Arquivo de 8 de novembro de 2010

Ímpeto

Ímpeto da vida fazer uma revolução no meu interior

Congestionamento mental etc e tal

Não digo não talvez um talvez

Expressão do louvar o bem ainda que alguém

Não considere a ferida exposta na vida

Que adentra pelo meu ser

E eu penso em rever

O que já vi anteriormente

Complexos em minha mente

Alto estima, depende do massagear

O coração movido pelo que é bom

Bom, bom mesmo é o amar!

Meio fio

Eu ando no meio fio como alguém que vive à margem

A margem de uma vida paralela, que não consigo ver da janela

Aquilo reservado a mim

Como me invade a paisagem!

Eu conto os dias como quem conta a respiração de alguém

Sinto o peito apertado com memorias do passado

Repasso e repasso os dias e as paginas do pouco acontecido

Sei que não serei vencido, porque guardei o bom

Des da infância a tolerância andava comigo

Sou menino, não adianta sou menino!

Meu instinto sabia dos meus dons

O dom de amar no colégio a menina magra que sorria

Não me olhavas, Marilisa!

Andei a procura de você sem me importar com nada

Só o sonho de crescer e ter a mulher amada

Hoje a maldade me ensinou que de rancor no peito não se abriga!