Ninguém vai roubar o meu mundo!

O mundo de quem anda por ruelas apertadas

E anseia chegar até o fim

Os carros estacionados nas calçadas

Ando como alguém que anda pelo gramado descalço

Pra fugir do transito que quer desfazer meu mundo

O pensamento voa alto acima do espaço

Espaço em meus pulmões quero respirar

O lugar dos meus sonhos de frases jogadas

Antecipo o caminho planejo o andar

Este mundo é só meu!

Pois quem conhece de mim sou eu

Sou esquizofrênico não um alienista

Uma parte de mim que me faz estar vivo

Num mundo de realidades explicitas

É como um soco no próprio umbigo!