Na Colônia Juliano Moreira,

parei o olhar num quadro suspenso;

meus olhos fotografaram

uma imagem única e pitoresca;

um senhor negro de cabeça branca,

camisa branca e calça preta,

andando pelo caminho da rua estreita;

ao fundo dois montes, de pedra, em formato

de seios tortos;

As cores da imagem me mostraram,

uma beleza,

de singeleza de momento único.

Pareceu-me uma foto do passado;

ou algo que se eterniza no nosso olhar,

sem palavras…