Arquivo de 30 de novembro de 2010

Vultos

Passa as ruas passam as gentes

numa festa findo ano

povo consumo povo urbano

acreditar nas luzes com planos

ter na memoria uma alegria

envolta de fantasias

penumbra do amor das famílias

inventam suas próprias trilhas

em compras ao preço

do que é novo

borbulho do povo

entre sons que se entre cruzam

entre luzes que piscam

vultos enevoados

esperança

criança

a dança

onde da janela ver

ano que já vem

permeando os sonhos de alguém

e crer e crer…  

Mariposa

Chuva de vento temporal

                       ventos ventania

                       refresca o calor do dia

                       infernal

por vezes surge uma mariposa

                       se fazendo esposa

                       da luz da lâmpada

                       encandecida  

gira e gira ao redor

                      fazendo círculos elipses

                      num voo alucinado

                      pesando encontrar o sol

apago a luz num eclipse

                      que faz a mariposa

                      alçar outro voo  

                      trilhar outros caminhos

em busca de outra luz.

Papelão

Procurei um guia de ruas,

Dentro das caixas de papelão,

Não consegui encontrar não;

Só livros e inúteis revistas;

É interessante quando tentamos encontrar,

Coisas que precisamos e não conseguimos achar;

Às vezes surge uma barata;

Meu Deus quanta arruaça!

Só por causa de um inseto;

Pega o sapato, o chinelo;

Taca nessa mal dita, que se esborracha!