Passa as ruas passam as gentes

numa festa findo ano

povo consumo povo urbano

acreditar nas luzes com planos

ter na memoria uma alegria

envolta de fantasias

penumbra do amor das famílias

inventam suas próprias trilhas

em compras ao preço

do que é novo

borbulho do povo

entre sons que se entre cruzam

entre luzes que piscam

vultos enevoados

esperança

criança

a dança

onde da janela ver

ano que já vem

permeando os sonhos de alguém

e crer e crer…