No fim do meu caminho,

uma arvore florida;

agradou-me tê-la nas retinas;

por caminhos espinhosos já andei,

que me fizeram sangrar,

disso eu sei;

no sol causticante

pequenas sombras,

do meu corpo

refletiu a penumbra;

cansado de bater a porta,

sem que ela alargue,

os meus sentidos calaram;

eu resolvi ouvir, muito mais do que falar;

não tive opção,

numa luta por dentro

meus sentimentos travaram,

aquilo de mais rico em mim.