Arquivo de 4 de dezembro de 2010

Céu

Dia de verão, manto azul,

nuvens de algodão doce,

doce o açaí,

doce o refrigerante,

doce o sorvete,

doce o beijo dos amantes.

Quem dera que o mel

das palavras,

das falas

pudesse inundar o povo,

num involucro das favas,

abelha que se desfez da arrogância,

menino da infância,

se enche de esperança

num olhar mais renitente,

encher o peito da gente

elevando-nos até o céu.

Retrato

Se penso em ti,

penso logo

nos cabelos,

teu olhar,

teus lábios pedindo um beijo,

teu acalanto;

de súbito, te vejo a me contemplar;

teu rosto diz um não…

como um retrato outdoor,

frio,

gelado;

quando a mulher gosta de verdade,

esquece a vaidade, e logo sorri;

como quem vê algo agradável;

ah, se me conhecestes bem?

verias que aqui bate um coração,

pacifico,

brando,

que conhece a essência,

essência de menino…