Meu mundo é o meu bairro

meu caminho é minha rua

sou eu um universo

ele flutua

em minha mente

um mundo criado por mim

viajo com meu pensamento

onde coisas boas observo

na esquina de um jardim

que plantei ao longo dos anos

posso disser que sou novo

posso disser que sou criança

aprendendo a andar

na agonia do sol

solitude

solidão

não sei tocar violão

arranho só as cordas

da estrada do tempo

o tempo que não se reconhece

em meus pensamentos

posso ir a Moscou

posso ir em meus olhos

refletindo a janela do que sou.