Sou tão transparente que às vezes

pareço ser translucido.

O fazer versos é o derramar do que tem no peito,

mesmo com seus defeitos,

mesmo com seus efeitos;

como o traduzir os lados de nossa vida,

de nosso cotidiano,

num desafinar de piano,

num arrebentar as cordas de uma viola.

Discorrer num poema

é como contar uma historia

comparando o que não tem comparação,

é uma ação,

uma atitude

pra quem tem virtude;

um sopro de vida nos ouvidos do espirito,

guardar as palavras

transforma-las em suspiros.