Procurei afoitamente vender

uma peça de celular

 

sol a brilhar

causticante

sem ceder…

 

andei…

transpirei…

 

ninguém quis

o dono da loja de informática

o dono da loja de celulares

o dono da lan house

o dono da locadora

o dono do bar   

ninguém quis

 

desanimado…

voltei para o lar

de súbito pensei oferecer uma vez mais

cansado…

 

quem me comprou foi a vizinha do lado.