A rua é dos automóveis. 

O pedestre não tem preferência;

a calçada é dos automóveis.

E quem tem assistência?

 

A propaganda é dos automóveis,

disputando com as mulheres nuas.

Eu tenho medo de andar nas ruas,

pois as ruas são dos automóveis.

 

O carro é status,

é poder…

O carro buzina,

tirando minha auto estima…

Quem quer vencer?

 

Compre um automóvel!

Que polui.

Quem evolui?

Só quem tem automóvel?

 

Tenho minha carteira vencida,

mas quem se importa,

não quero ser homicida…

Olhando por trás da porta

do automóvel,

imóvel…

Incidente de insanidade metal.

 

Pois no futuro as ruas,

as calçadas

já não serão dos automóveis;

serão irreversivelmente dos pedestres,

das crianças

nuas

da couraça

dos automóveis.