Saio de um bar,

entre falas, filosofias de vida

pego o ônibus na avenida,

minha mente divaga sem par.

 

No frio do inverno

vejo homens a passar de terno;

o ônibus passa sobre a ponte

sobre o rio poluído ao longe.

 

Passam pessoas com cão

de raça poodle fazendo pipi no chão

e placas anunciam night e new;

a mulher se encolhe pra proteger-se do frio.

 

Chego a Mato Alto,

o morro a beira do asfalto.

Os carros e as motos rompem o sinal

entre pessoas e cavalos, para bem ou mal?