As luzes da cidade ofuscam o céu noturno;

as pessoas da cidade não admiram

o céu à noite, mas as luzes que piscam

das placas e dos faróis num turvo.

 

Carros, luzes, bar e sobeja…

A garrafa em cima da mesa;

a noite tudo abstrai o pensamento

e o tempo se arrasta lento.

 

Lembro-me quando morava no interior

à luz da lua, a mata com seu frescor,

numa oposição a cidade com suas luzes

onde o sossego era uma virtude.

 

Veículos rodam vagalumes

portando pessoas mariposas,

procurando a luz nos vales

sob o céu que pouco reflete sombras.