Quem é esse na cidade?

Quem é esse com pouca vaidade?


Quem é esse que em meio à tristeza assobia?

Quem é esse que ao desconhecido diz bom dia?


 

Eu com meus sentimentos de rumores;

Se preocupa, um pouco, com o que os outros dizem.

Que morreria de amores

Por uma flor de mulher.


 

Mas o que é que você quer que eu faça?

Um sorriso sem graça!

Com esse coração de areia movediça


Onde tudo guarda, tudo absorve.

Como o drama humano me comove!

Porque é simplesmente bela a vida,

 

Rodeada de sentimentos afoitos

Que nos chamam dizendo irmão:

Eu estou na palma de tua mão

Cheia de sonhos idílicos.