Já não conto o trem da minha vida

pelos anos que passam mas, pelas ações

de rimas soltas, cantos canções;

vagões de sentimentos carregam a lida

 

de vitorias sobre mim mesmo;

não fracassos a esmo,

nem o grito preso na garganta,

disso nada, nada adianta.

 

Em tudo o amor suplanta

pelo que não aconteceu;

a vida não morreu,

antes tarde que o amor alcança.