Arquivo de 16 de novembro de 2011

As ruas

As ruas se inflacionam de cinza e preto

De veículos automotores.

Atravessam o caminho, dificultam a passagem

Das pessoas, atores

No asfalto,

Motores

Rocam…

Pedem ultrapassagem!

Nesse entediar de duas cores,

Num embebecer, 

Sufocar

Os amores

Intocáveis, a beira do caminho.    

As vezes

As vezes eu penso no tempo perdido,

as vezes eu penso no tempo futuro…

Minha vida, meus valores,

as vezes cheios de cores,

 

as vezes um mundo vazio,

como um rio seco, o estio.

Eu me apego à poesia

pra quem sabe algum dia

 

eu possa olhar as minhas pegadas,

e sentir um suspiro na chagada…

E ser recompensado, porque alguma vez

alguém se tocou, pelo que leu.