Uma vez eu me sentei à beira de um rio.

E senti uma calma, uma amplitude…

Percebi o quanto é sagrado um rio.

 

Foi à beira do São Francisco!

De onde vinha tanta água meu Deus?

(Pensei comigo mesmo)

 

Imaginar que tudo começou de uma pequena

gota, um fluxo pequenino,

e ver que muitos não respeitam essa veia.

 

D’onde vem do pulso do coração da terra

-A montanha, a planície

se ergue da superfície;

 

a vida acende a chama,

da vida sagrada que flui do peito,

o corpo terra que em terra se tornará.