Quem dera que o ser humano

fosse valorizado pelo que é,

não pelo que possui de bens.

 

Fosse valorizado pelas qualidades,

impalpáveis,

inigualáveis.

Pois todo ser possui dons!

 

Quem sou eu, se não

entre todos os sentidos do meu corpo

uma mente que pensa.

 

Que abstrai o pensamento

no intimo desejo

de ter uma vida digna.

 

O pão na mesa,

um lar que me aconchegue,

um seio de mulher

que me diga que não estou sozinho.

 

Enquanto o calor humano é raro,

muitos em busca de um atalho

pra chegar ao topo

da montanha

que não se conseguiu ultrapassar pela fé.