Nuvens cúmulos no entardecer

Tudo indica que vai chover

Derramar o dia sobre a noite

Em águas de choro do céu

E como derrama!

E como derrama!

Apaga a chama

Vontade de sair

Entre todos dividir

O calor do viver

Calor que depura

Mentes e corpos

Toca o som de uma canção

Desejos que se misturam

Alimentando a fé

Que nasce do coração

Como semente

Um grão!

Pra no dia do vazio

Lembrar que frutos vão eclodir

Na alegria que se sente

Olhar pra trás e ver:

­-Passos plantados não foram tardios.