A cidade grande nos tira céu estrelado,

encoberto e entrelaçado de nuvens,

e das lâmpadas o brilho amalhoado,  

céu de caminhos o brilho das virtudes.

 

Das três Marias, o cruzeiro do sul…

Embora de dia se possa ver o azul,

o azul é finito não é como a noite,

nem o sol se mostra a infinidade

 

do mar de estrelas brilhantes sem fim,

acompanhado com a lua que reflete

como espelho, hora nova, hora minguante,

 

o caminho via láctea profundeza em mim,

o azul do planeta do outro lado distante,

ver da janela, as asas de um foguete.