A marcha dos tempos não para

a tomar decisões tardias

e lá se vão nossos dias

cuja incompetência está na cara.

 

Tomam decisões depois que o ovo quebrou,

o caldo da panela entornou

e vidas são ceifadas no maremoto

depois do constante terremoto.

 

O pior da tragédia anunciada

é que só colhem as migalhas,

não fazem uma simples prevenção,

convém o acordar da população.

 

Botar mais investimento no ensino

para que dobrem os sinos,

por o dedo na ferida,

antecipar-se ao flagelo em nossas vidas.