A vida nos promete

com seu sorriso de sol

pela manhã.

A vida nos promete que a

alegria não será vã.

Entro em casa em mim mesmo

e tudo continua como antes,

um respirar arfante,

a pele a derreter no abafado

barco do dia.

Não, tudo não é como antes,

apesar do existir encurtar

os anos,

ainda sobram planos

que o vento da porta aberta

trás.

O que subtrai é acrescentado

no pão que alimenta

o estômago da vida,

que pede mais e mais comida.