Tu tens um brilho no olhar

que procuras no impalpável,

no intangível,

para que a vida faça sentido.

Um sussurro tu escutas

do vento que sopra no ouvido.

Teu coração bate, bate, bate

e uma onda de calor te invade

nas entranhas do teu corpo,

porque precisas ganhar as horas

do dia-a-dia que transformas

em pão,

em bens.

E a noite vem

e então,

tu repousas do cansaço

e percebes que esquecestes o teu irmão,

teu amigo, tua família,

porque a vida não faz sentido

sem o outro pra repartir o pão,

dos teus sonhos

e os sonhos de teu filho.