Olho ao meu redor

sinto a noite vazia

quase fria

à luz da tela do computador.

 

É o que tenho pra cruzar as horas

o pensamento não vai embora

não circula pelas ruas da noite

ficaram os vapores

do dia

onde sinto a leveza

da alma

do corpo

o clarão do dia morno

e enterrado

à sombra da luz do quarto

onde deposito num olhar

toda a solidão.