Metáforas e metáforas!

O que seria dos meus versos?

Jogar fora

os excessos

dizer um exuberante pôr-do-sol

dizer um revoar de pássaros

cujo voo

é um grito para o infinito

leva, leva, leva o espirito

num bater de asas

que dizem adeus ao chão

sobre as casas

sob o céu

este véu de nuvens esparsas

um vento que sopra ao léu

um grito ecoado

no clarão do dia

faça sol ou chuva

debaixo de um telhado

e os corpos agasalhados

na coberta macia.