Os céus anunciam o esplendor

de quem os criou.

 

Um dia entra por outro dia.

Uma noite entra por outra noite.

 

Incessante glória que se anuncia,

profunda beleza que investe o observador

 

explicação para a vida,

tão bela em sua simplicidade

 

longe das luzes da cidade.

Estuda planetas, sóis e dúvidas não respondidas,

 

quanto mais o olhar se aprofunda

no espaço sideral,

não encontra outro planeta igual

 

a terra em meio a tantas perguntas.

As matérias de tantas singularidades,

que o Homem transforma com ganancia,

 

desconhecendo os biomas de tanta importância.

Tudo se transforma nada se cria, mas, se perde vida nessa grandiosidade.