Ver, um revoar de pombas e rolinhas,

sorriu para mim no despertar da manhã.

O bairro despertou nas ruas e esquinas.

O sol aquecendo o meu corpo

na alegria que entra sem esforço

nesta manhã de inverno.

Os políticos com seus ternos;

desvio os meus olhos dos cartazes

e olho a barriga de uma grávida,

dizendo-me que a vida não acaba

e a esperança faz as pazes

com o amanhã.

 

Nada melhor do que ter uma sociedade educada,

porque o amanhã gestamos no hoje.

Na atitude presente

contribuir no que pode.

O amanhã nunca acaba.