Em meio ao “silêncio” da cidade

ouço um grito…

 

Só ouvem os solitários

cercados

na multidão.

Teu caminhar

e com ele buscar

um alicerce para esse chão.

 

E dos teus sonhos

não desistas

não são poucos os que sonham contigo

mesmo que seja enfadonho

a arte de viver revelando:

o que em tuas mãos exista.