Nasceu redondo e vermelho

no fim da estrada,

no céu por sobre as casas.

 

O ano novo vem queimando.

Janeiro vem junto com o verão,

quarenta graus a queima roupa,

sol que evapora o chão.

 

E as pessoas pedem água

porque seus corpos gotejam,

bronzeado brilho nos seus poros,

mais água do que carne e músculos

o fruto da água e terra.

 

Água,

terra

aquecida,

sol que abrasa.

Ventos

são asas

que batem

e rebatem

as nossas vidas.