Eu bebo a realidade

de goles em goles

num líquido efervescente

naturalmente

acidulante

aromatizante

misturando

passos apresados

a boca seca que bebe a água

o suor que molha a camisa

o ônibus lotado

o dinheiro contado

eu bebo a realidade

tenho que bebê-la

para que o sonho

que se sonha

não seja apenas uma sombra

seja iluminado

por esse sol do dia a dia.