Arquivo de fevereiro 2013

Você é moço, moço?

Você é moço, moço?

idoso

idoso

Vai ser!

 

De tudo que

você

possa demonstrar

demonstre o amar

demonstre o amar

 

Antes que venham os dias de enfado  

e reste em você lembranças

dos dias do que fez no passado.    

A paciência

A paciência

a fiel paciência

de espera branda

como um cachorro

que espera olhando

por trás do portão

aguardando o seu dono

 

E o mundo gira

o pulmão

expira

o ar

num romper da aurora

 

E o dono chega

a surpresa chega

esperadamente chega

e tudo é um saltar

de hormônios nos poros

 

Quisera eu ter

a fidelidade dos cães

que fielmente

pacientemente

aguarda a mão

abrir o portão.

Variação

A tarde é irradiada pelo sol

as nuvens brilhantes

espalham-se no céu

 

O dia promete à noite

o brilho de lua crescente

 

Dia noite

seguem

uma após outra

 

E a terra sustém

o círculo perfeito dessa

variação

 

Noite dia

o sol clareia radiação

o que era já não é

 

Gravitação

assim fala a força da maré.

Longo espaço

São quase duas horas para voltar do trabalho

entre alhos e bugalhos

mistura-se a sede de voltar e o cansaço

nesse longo espaço

É mais tempo que se leva do que escrever

uma poesia como esta

O querer viver

e o estímulo dos sentidos se fecha

Como flecha que roça o ar

a moleza dos corpos

não descansa na cadeira

nem o ar refrigera os poros

A força centrífuga nos empurra da cadeira

é preciso segurar

com força o futuro

que desnuda os puros

na necessidade de tanto imaginar.

Jovem mulher

Teus dedos

sobre os cabelos

deslizam

acariciam

tua vaidade

 

Em tua juventude

mulher

tens a certeza

da sedução

 

Em qual desses olhos

que te miram

estenderás

a tua mão?

Em cada humano há um jeito de viver

Em cada humano há um jeito de viver

andar na vida

e na justa medida

crer e crer

 

Uma voz que anuncia

que em cada dia

o sol trás uma nova esperança

abre a janela daquela tua criança

crer e crer

 

Escale as rochas como os cabritos monteses

e lance sua rede nas águas

pra sua sorte ser liberada

e você terá o que nunca teve

crer e crer

 

Colhe o que há de bom no seu coração

e semeia sobre a terra

cantando uma nova canção

o espirito do universo te observa

crer e crer

Brilha o metal

Brilha o metal

range o metal do ônibus

brilha o sol

o homem de bicicleta

cai atropelado

mais adiante

um meliante

rouba a bolsa de uma mulher

as pessoas se agitam

as mulheres gritam

no ônibus

 

brilha o sol

o ônibus é esvaziado

a esperar outro ônibus

nessa quarta-feira de cinzas

brilha o metal

brilha o suor

e o sol.

Travestidas

O carnaval pula suas fantasias

pessoas esquecem

o dia a dia

e pulam seus corpos no ar.

Riem de personagens

da vida em alegria

em zombaria

e ironia.

 

O bloco fantasiado

pessoas travestidas

veriam talvez

em gargalhadas

um homem vestido

de terno e gravata

e mala 007.

 

O que é vestimenta formal

é ironia

no carnaval.

Mais um

A beira da lagoa dos meus sonhos

vou com um barco rápido e ligeiro,

a lagoa é o mundo,

o barco são meus anseios,

 

de quem tenta pescar na vida

no trabalho a justa medida

do orgulho,

a honra

de quem sobrevive a olho

nu.

 

Cai o orvalho da manhã

gotas que brilham no cimento,

no pisar da multidão,

sou um sonhador

mais um.

Água

Ando pela rua

desvio-me das poças d’água

que refletem as luzes dos postes

anoitece

 

Meus passos como uma prece

já planejam o dia seguinte

são mais de vinte

são mais de vinte

milímetros  

 

A rua deserta de gente

é melancólica

eu sei que há enchentes

eu sei que há enchentes

 

A água molha

a vida das pessoas

até os dentes

a água que se bebe

pelas bocas.