Arquivo de maio 2013

Canção de outono

Quando o vento sopra forte

e se faz ventania

lembro que algum dia

eu mereci teu sorriso

 

O teu sorriso bonito

espontâneo

ficou feliz em me ver

porque num gesto eu fiz merecer

 

Oh! flor da campina

você é mulher menina?

maio já se foi

e inverno que já vem

com suas nuvens espessas

flor, menina e princesa

que sabe querer bem.

Aspirador de pó

Ah! Que vontade de me encher de conhecimento,

como um aspirador de pó

suga a poeira do tapete.

Queria saber o nome de todos os verdes…

E conversar com uma árvore como uma amiga,

que ela me diga:

Olhar a vida em volta

construir edificações

sem respeitar os pássaros,

que cantam canções.

No caminho desta vida

No caminho desta vida

uma curva dos 10 anos de vida,

uma curva dos 20,

uma curva dos 30,

uma curva dos 40,

uma curva dos 50,

uma curva dos 60,

uma curva dos 70,

até que…em fim

uma ponte atravessando

um rio misterioso de sonoros sussurros,

aonde se encontra uma terra do esquecimento.

E a vida vivida esquece os lamentos.

Para que faça sentido

Para que faça sentido

o falado e o cumprido

e haja uma sentença de vida.

Vida contida prometida,

para adocicar a vida

haja sobriedade como um

café sem açúcar

e

assim,

se cumpram os momentos incomuns.

 

Desejo para qualquer pessoa

uma alegria que entoa,

o afeto de um amigo

e a vida faça sentido

assim,

como foi prometido

de um menino para outro.

A pé pelo caminho

A pé pelo caminho

uma encruzilhada

inesperada.

A razão pede para direita.

O coração pede para esquerda.

Como resolver tal dúvida?

São tantos os poréns.

São tantos os porquês.

Não é certo decidir pela intuição.

Há tantos erros sem poder

voltar atrás!

O erro é uma alcatraz!

A voz da experiência me diz:

-Informe-se com os caminhantes,

sossegue, sossegue!

O arrependimento é um deserto sem fonte!

A noite paira como nuvem

A noite paira como nuvem

escura.

Estou eu a escuta

do silencio frio,

mas ainda se ouve

os carros na rua…

Não há silencio total!

Acho que só no espaço

longe da terra,

o silencio mortal,

o silencio da lua.

Que gosto único

Que gosto único

é o alimento feito

pelas mãos

com o carinho

aquecido com calor

do peito

do amamentar

ao cozinhar

tempero do coração

mulher

dádiva de ser mãe.

 

Que cada filho

diga:

mãe

cozinhei pra você

o cozinhar de te

servir

hoje

amanhã

e no porvir.

O começo

Às vezes quando se pensa

que alcançou o desejado,

vê-se é apenas o começo

e o futuro é a recompensa

do que se conseguiu no planejado.

Vale o que está escrito

Vale o que está escrito

não adianta o grito

e todos os apelos

palavras soltas no ar

nada valem

fica o dito por não dito

vale o que está escrito

 

Numa pericia

o perito

ver o que está no computador

não tem como mostrar dor

do grito entalado na garganta

 

Melhor é ser criança

que acredita em palavras

nas histórias

 

A burocracia está

na democracia

carimbada.

O grilo

Estava pegando água para o café

quando me apareceu uma esperança

verde

mexendo os pés

ou patas.

Não podia matá-lo

nem expulsá-lo,

pois eu estava deprimido.

Poderia dizer:

cante grilo, cante!

E me alegrarão por um

momento,

os olhos e os ouvidos.