Arquivo de dezembro 2013

Poeminha de ano novo

Eu não me sinto eu

quando sozinho,

só me sinto mais eu

quando estou perto do vizinho.

 

Precisamos de aceitação!

Precisamos dividir o pão!

Um ano que começa

sem pressa

e mais união.

Calar

A vida vale muito

muito vale

que deixe descer

e me cale

o muito que tentei

em voz alta

da inquietação que lancei

e agora um lago manso

bulido por uma flauta

aquieta-se em meu remanso

antes que o zumbido do dia nasça

e de pensar no futuro presente me

faça

daquilo que não fiz a luz do lume

porque estar sozinho e a sós

é mais do que vibraria minha própria

voz

que a vida é mais dramática que uma ópera.

Imbuas

Eu e meu irmãozinho enchíamos

os bolsos com imbuas e dizíamos:

Estamos ricos!

Estamos ricos!

A riqueza de brincadeira

fazíamos com ingenuidade

na infância tão pura era fácil

a felicidade,

porque a riqueza maior

não é aquela de prata ou ouro,

o que na infância rico tesouro

é aquela que se reparte com alegria,

porque a tristeza maior é a constatação

de que estamos profundamente sós.

Espero que sejam úteis

Espero que meus versos sejam úteis e tenham de alguma forma despertado em alguém algo bom e que realmente lhes enriqueçam.

Tenho que ter tempo para saber o que e em que meus versos podem ser melhorados para escrever cada vez melhor. O poeta lida com sentimentos, que surgem em momentos que se não escritos se perdem ao vento.

Um próspero ano novo para todos que lêem e gostam de meus versos.

Em parte somos divididos

Em parte somos divididos

em contradições

comovidos.

O bem que era

torna-se ilusões

quimera.

 

Esses sonhos de desejos

dilui-se devagar

como os sonhos que vejo

e já não vejo

mudou-se de lugar.

 

Mas nada de desistir

eu sou brasileiro

pois o meu existir

está acima do medo.

 

Num certo anúncio

Num certo anúncio de um velho cartaz

Vi escrito em letras

Garrafais:

Feliz dia das crianças!

E a criança segurando um balão azul

Que dizia:

Yes!

É inegável o legado da cultura Americana:

A democracia

O jazz

E a língua inglesa é sabidamente universal

Nossa cultura se tempera com

Tempero

Sal

Eu não sou tão radical assim!

Mas, daí em nossas escolas adotarem o Halloween?

Moça da pele romã

Moça da pele romã

quero que me leve contigo

mais do que seu amigo

cheiro puro da maçã

 

Sua pele pintada de sol

macia como fruta madura

a sua pupila tão pura

veja-me com o mais puro amor.