Querer e não poder

como dinheiro que se acaba

se não investido torna a se perder

como momentos numa sala

que no tilintar da moeda

torna-se perda

por mais do que se seda

e se pareça

sábio.