Ver o dia raiar

cessa pouco a pouco

o silêncio da noite

até ancorar

ainda que leva

os açoites

do corpo

num colchão estreito

no sono o parapeito

da rocha que se eleva

e confiar no amanhã

chá de hortelã

e nasce o dia

dia dia dia dia!

como principia!