Alguém veloz

na ribeira da

folhagem do escuro

taciturno

que esperou teu sorriso

no escuro coração

que bateu forte

minha sorte

de ver formosura

em teus gestos

mostrando e não sorrindo

e nem tocando tua voz

e o dia disse que linda

não é pra ti

só vendo!

e o dia

lento, lento…