Não chore o leite derramado

pois o aprendizado não é sem

esforço

na beira do poço

o balde não sobe sem ninguém

que trilhou o caminho

tantas vezes caminhado

 

E quando chove

o céu derrama

e inunda o prato do dia

e tudo se precipita

num inundar

pelas nuvens que se

movem

e a seca do chão

é saciada

e raios e relâmpagos

clareiam

a escuridão

depois de tudo

as telhas gotejam

o resto de água

para que haja vida

vida tantas vezes

reclamada.