Como crer

e ter?

E procurar

descortinar

entre cantos

e salmos

afugentando a ilusão

do palpável?

No imponderável

mundo sem solução?