Antes que a água se acabe

Antes que o riacho desague

Antes que haja escassez

Antes que as colheitas percam a vez

 

E tudo no mundo

O poço seja fundo

Porque a vida não espera

Tanto tempo que tudo se regenera

 

E só haja o escaravelho

Pra rolar o esterco

E eu me perco

Neste mundo velho.