Bons momentos aqueles, na minha estadia no nordeste. Meu primo e eu costumávamos pegar melancias maduras das roças da vizinhança.

     Era um tempo em que a fauna e a flora ainda se mostravam exuberantes, no inverno do nordeste. E o sistema de plantação era de cortar a mata e depois queimar (período das queimadas). Eu não tinha muita consciência ecológica, mas me mostrava tremulo, sem muita alegria, por ter caçado um pássaro que se mostrava belo, mesmo depois de morto.

     Hoje na cidade grande, ficamos horrorizados pelo preço das frutas, dos legumes que vem das plantações das zonas agrícolas.

     As coisas mudam e a nossa consciência se amplia depois de adulto.

     Meu Deus foi a algumas décadas!