Quero entrar por ti portais eternos

Sonho de mortal ser imortal

E ver a glória universal

Ver revelarem-se os segredos

do universo

Estar perto de ti

Ó Pai

Abrigar-me assim

debaixo de tuas asas

Pois quando eu não merecia

nada

Tu vieste arrebatar-me e jogar

os meus erros nas profundezas

do mar

Dizei ao cético que querendo ou não

as profecias se cumprem e nelas

temos a certeza

que tua palavra não falha

Trazendo libertação

Pão macio que se come à mesa.