Arquivo de setembro 2017

Não sou eu o inventor de mundos

Não sou eu o inventor de mundos

Conto o presente ou coisas que a gente

sente

Onde o sentimento se retrata

que no infinito eterno não passa

 

Enquanto corações forem tocados

nunca deixarei do meu estrado

Como a palavra mesmo diz

Deus não considera o pecado que fiz

 

O sentimento humano é enganoso

O que existe é uma só verdade

Nascemos para ser eternos

 

O que semeia bons verbos

no tempo não haverá idade

E uma poesia é o pedaço do todo.

Pessoas são tesouros

Pessoas são tesouros

Pessoas valem mais que o

ouro

Ainda que o valor no mundo

seja dado em quantidade(ter)

O verdadeiro “bem” vence a

maldade

O que para a maioria não convém

Como os garotos na minha rua

que julgam ter

passarinhos

fechados na gaiola

Eu tenho muito mais pássaros

nas matas

O que o mal senso comum conflitua.

A tua voz ecoou no infinito

A tua voz ecoou no infinito

mais que um grito

como um estrondo

nas nuvens carregadas

 

E eu reconheci a tua grandeza

desde a delicadeza

das flores plantadas

pela natureza

 

Retrato da tua gloria

que nos traz a memória

das estrelas não contadas

de maneira que fiz do meu pulsar

agradecer a tua estrada

 

Que me dá a certeza

onde vou terminar.

Não tem um mal que não venha o bem

“Não tem um mal que não venha o bem”

Assim dizia minha vó!

Mas há um porém

para esse nó

Para que isso aconteça

e depois da noite triste

amanheça

é preciso que Deus opere

com sua lei

e dizer que tudo no mundo

não é escravo da sorte

pois Jesus com sua morte

deu a opção para os que creem

de ter vida abundante

e o verdadeiro cristão

é salvo e amante

da história da redenção.

 

Jornada

Soltar ao vento em alegorias

tudo, tudo de bom da alma

e com essa calma

percorrer a cada dia

o amor mais sublime do mundo

como palmo a palmo

sem sentir minutos e segundos

deixar um testemunho nos meus passos.