O tempo se esvanece como

uma ampulheta

e os anos passam sem avisar

como um carro sem aviso

de placa a marcar

 

No saldo restante do planeta

será que há algo para festejar?

No final dos anos passados

sem considerar

milhões e milhões

sem sequer um abraço

da esperança

e sofrem na ignorância

da palavra de vida

que opressores impedem

os passos?