Por décadas atrás se dizia no Brasil: “Somos um País de jovens”- essa realidade mudou, estamos nos transformando num País de idosos. Mas a mentalidade não mudou muito, apesar das ações que tentam valorizar e resguardar os direitos dos idosos, a grande parte de jovens não valoriza os idosos; os tem como ultrapassados e, muitos com graus de invalidez são colocados de lado ou em asilos, considerados um peso, principalmente quando não colaboram para o bem estar financeiro da família. E claro que isso depende, também, da educação da família, seus conceitos. Há a chamada solidão dos idosos, onde a cosmovisão não é bíblica cristã e fraterna, onde o legado deixado pelos mais velhos não é respeitado. Por isso, é imprescindível manter-se ativo pela vida toda, onde a vida não termina na velhice, ela se perpetua nas próximas gerações e aonde o espirito junto à alma, virá na vida futura para eternidade.